terça-feira, 13 de novembro de 2018
 
     
 
Simpósio debate o reúso da água
 
     
 
 

O secretario de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Ricardo Borsari, realizou no dia 12/11 o discurso de abertura do “Simpósio Internacional Escassez Hídrica e o Reúso de Água Como Parte da Solução”, na capital paulista. "Após a seca de 2014/15, acreditávamos que demoraria muito tempo para termos uma situação parecida. Mas a redução das chuvas já em 2017 trouxe uma nova situação de preocupação. Porém, como fizemos a lição de casa com a realização de obras que aumentaram a segurança hídrica, pudemos enfrentar a situação atual sem problemas de abastecimento”, destacou Borsari.

 

Na visão do secretário, a questão hídrica demanda quatro frentes de atuação: a universalização do saneamento, o aumento da segurança hídrica com reservação bem acima do uso normal, o combate a perdas e o reúso de água. “Hoje, para trazermos mais 1 m3/s de água para a grande SP, temos que fazer um investimento gigantesco. Por isso a importância de investir no reúso, que pode contribuir com parte do abastecimento”.

 

Para incrementar o reúso, prosseguiu Borsari, é preciso tornar o custo do fornecimento cada vez mais atrativo e também aperfeiçoar a regulamentação dessa área, que ainda tem muitas deficiências. “Este simpósio traz exemplos internacionais de ações e de regulamentação para nos ajudar a aplicar estas ideais aqui”, apontou.

 

Estiveram presentes na abertura do evento Benedito Braga, presidente do Conselho Mundial da Água e professor da USP, Paulo Massato, diretor Metropolitano da Sabesp (representando a presidente Karla Bertocco), João Cesar Queiroz Prado, diretor de Sistemas Regionais da Sabesp, Edson Airoldi, diretor de Tecnologia da Sabesp, Arly Romeo, presidente da Sanasa, Mônica Porto, professora da USP, Renato Ramos, coordenador da Câmara Técnica de Reúso da Água da ABES (representando o presidente Roberval de Souza), Rui Brasil, coordenador de Recursos Hídricos da SSRH e Wilma Gonçalves, coordenadora de Saneamento da SSRH, além de representantes dos Comitês PCJ, Agência PCJ, Fabhat, Banco Mundial e outras autoridades, técnicos, pesquisadores e estudantes.

 

O evento contou com a participação de especialistas internacionais mostrando de que forma estão sendo buscadas soluções em países como Israel e México. O objetivo foi estabelecer um grande marco no intercâmbio de conhecimento e experiências de sucesso entre os especialistas internacionais e brasileiros sobre o setor hídrico e o reuso de água, trazendo o que há de mais moderno e inovador para a discussão. O evento prosseguiu na terça-feira, 13/11, com debates e uma visita ao projeto de reúso Aquapolo.

 

     
  Share on FacebookTweetShare on Google+Post to TumblrShare on LinkedInSend email
Mais notícias