segunda-feira, 31 de julho de 2017
 
     
 
Maior obra de abastecimento da Sabesp chega à Região Metropolitana de São Paulo
 
     
 
 
 
O novo Sistema Produtor São Lourenço vai bombear até 6,4 mil litros de água por segundo para a Grande SP (Foto: Divulgação)
 
     
 
Ele está chegando. O novo sistema São Lourenço, maior obra de abastecimento da Sabesp, conectou-se pela primeira vez à rede de água já existente. A primeira das seis grandes interligações ocorreu neste domingo (30/7), em Vargem Grande Paulista, na área oeste da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). A medida eleva o andamento da obra para 70% de sua conclusão. Na prática, o trabalho deste domingo representa o coroamento de um esforço que se acumula desde abril de 2014, quando as obras foram iniciadas. Não é algo pequeno: o novo sistema São Lourenço contará com estação de bombeamento de água bruta, estação de tratamento de água, 83 quilômetros de adutoras e reservatórios para armazenar até 75 milhões de litros de água, entre outras estruturas. O passo decisivo, que é dado agora, é conectá-lo aos outros oito sistemas que abastecem a capital e a RMSP. Assim, a água do São Lourenço poderá atender bairros que hoje são servidos pelo Cantareira, Alto Cotia e Baixo Cotia, por exemplo.
Com esta intervenção concluída, os técnicos da Sabesp vão começar a trabalhar nas próximas cinco. São elas: Setor Atalaia, em Cotia (que hoje recebe água apenas do Alto Cotia e passará a ser atendido também pelo São Lourenço); Setor Mirante de Jandira, em Jandira (hoje só com o Baixo Cotia); Setor Tupã, em Barueri (atualmente atendido pelo Cantareira); Sistema Baixo Cotia, em Barueri, Itapevi e Jandira; e a alça oeste do Sistema Cantareira, em Carapicuíba. A expectativa é concluir os serviços até o final do ano, quando a água começará a fluir no novo sistema.

 

Novo sistema São Lourenço
O São Lourenço é uma Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sabesp e um consórcio privado para instalar um novo sistema produtor de água para a RMSP. Ele vai bombear até 6,4 mil litros de água por segundo da represa Cachoeira do França, em Ibiúna, até a ETA (Estação de Tratamento de Água) em Vargem Grande Paulista. Essa água abastecerá cerca de 2 milhões de pessoas em Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista. Sua implantação garantirá o abastecimento com água de qualidade. A longo prazo, a expectativa é atender futuras demandas da região oeste da RMSP, a área com as maiores taxas de crescimento populacional. A obra, um investimento de R$ 2,2 bilhões, gerou cerca de 5 mil empregos na região.

 
     
  Share on FacebookTweetShare on Google+Post to TumblrShare on LinkedInSend email
Mais notícias