quarta-feira, 15 de março de 2017
 
     
 
Secretário Benedito Braga abre conferência internacional sobre a água no Azerbaijão
 
     
 
 
 
Benedito Braga destacou a importância da segurança hídrica em seu pronunciamento (Foto: Divulgação)
 
     
 
Benedito Braga, secretário de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo, abriu nesta quarta-feira, 15/03, a Conferência Científica Internacional de Baku (Azerbaijão) sobre Água. Braga, que também é presidente do Conselho Mundial da Água, levou para o evento as experiências aprendidas por São Paulo no combate à crise hídrica de 2014/15 e vai participar da troca de informações sobre questões como o impacto das mudanças climáticas e novas tecnologias para o tratamento de água.
O secretário destacou em seu pronunciamento a importância da água para a melhoria da qualidade de vida e para o crescimento econômico. Segundo o Banco Mundial, para que o mundo todo tenha acesso a abastecimento de água e saneamento até 2030 seria necessário um investimento aproximado de U$ 50 bilhões anuais. E o benefício direto de se atingir a segurança hídrica em nível global seria um crescimento da economia mundial de 0,5%, o que significaria um incremento de U$ 500 bilhões anuais de riqueza produzida. A instabilidade climática, cada vez mais acentuada, é um fator de dificuldade para a segurança hídrica e, por consequência, uma risco para a estabilidade social e econômica dos países. “O Fórum Econômico Mundial de 2016 apontou, em seu relatório de riscos globais, as crises hídricas como uma das possibilidades de maior impacto na próxima década – se a gestão da água não tiver abordagens mais abrangentes e com soluções adaptativas”, apontou o secretário em seu discurso.
Visita
Na terça-feira, acompanhado pelo assessor de relações internacionais da secretaria, Patrick Johann Schindler, Braga visitou o reservatório Takhtakorpu e o Complexo de Tratamento de Água Jeyranbatan. O Azerbaijão foi citado como exemplo por Braga em seu pronunciamento. O país construiu, há 100 anos, 170 quilômetros de adutoras para buscar água nas montanhas do Cáucaso, proporcionando segurança hídrica para sua capital Baku e tornando sustentável o seu crescimento.
O secretário ressaltou que o exemplo do Azerbaijão mostra que a segurança hídrica requer infraestrutura, governança e investimento. “Superar esses desafios é um chamado para as lideranças nos níveis governamentais mais altos em todo o mundo. Vamos continuar trabalhando juntos e unir esforços para dar à segurança hídrica a importância que ela merece”, finalizou Braga, remetendo-se também ao Fórum Mundial da Água, evento global mais importante sobre o tema, que será realizado em março de 2018, no Brasil.

 
     
  Share on FacebookTweetShare on Google+Post to TumblrShare on LinkedInSend email
Mais notícias