sexta-feira, 04 de novembro de 2016
 
 
Sabesp, 43 anos de trabalho para a evolução do saneamento
 
 
 
 
1) Companhia Cantareira; 2) Reservatório da Consolação; 3) Adutora do Sistema Rio Claro e 4) Superintendência de Águas
e Esgotos da Capital (Fotos: Sabesp)
 
 
 
 
A Sabesp completa 43 anos em novembro, um bom momento para contar um pouco da trajetória do saneamento em São Paulo. A história do saneamento básico, principalmente na capital paulista, começou por volta de 1560, quando o número de habitantes era pequeno e as pessoas se abasteciam com água de ribeirões e de fontes naturais. 

Nos anos seguintes surgiu o abastecimento por chafarizes e carros-pipa até a criação da Companhia Cantareira de Água e Esgotos, uma empresa privada, que substituiu o abastecimento existente por ligações domiciliares de água. Nessa época, a população de São Paulo já era de 50 mil habitantes.

O primeiro reservatório da cidade foi construído no alto da Consolação em 1878 e começou a operar em 1882, atendendo 113 prédios. Um ano depois, foi entregue o primeiro distrito de esgotos de São Paulo, no bairro da luz. Devido à insatisfação do povo, a Companhia Cantareira foi substituída pelo RAE (Repartição de Água e Esgotos), quando a responsabilidade de levar saneamento à população da cidade, que continuava a crescer, passou para as mãos da chamada província.

Em 1890, a população era atendida por duas adutoras – Ipiranga e Rio Claro. Três anos depois, foi inaugurada a adutora Guaraú para levar água para o reservatório da Consolação. Mesmo com os investimentos, as estruturas ainda eram pequenas perto da necessidade da população que recebia, em 1894, 27 mil litros de água por dia.

Em 1954, no lugar da RAE foi instituído o DAE (Departamento de Águas e Esgotos), peça fundamental para o saneamento básico de São Paulo com poder administrativo sobre os municípios de São Paulo, Guarulhos, São Caetano, Santo André e São Bernardo do Campo.

No ano de 1968 foi criada a Comasp (Companhia Metropolitana de Água de SP), uma empresa de economia mista com o objetivo de captar, tratar e vender água potável no atacado aos 37 municípios da Grande São Paulo, inclusive ao DAE. Para resolver os problemas de esgotos, em 1970 foi implantada a Sanesp (Companhia Metropolitana de Saneamento de SP) com a finalidade de interceptar, tratar e proceder à disposição final do efluente.

Com a população aumentando mais que a disponibilidade de água e com índices de mortalidade infantil alarmantes, em 1° de novembro de 1973 foi criada a Sabesp com o objetivo de atender o Estado de São Paulo. A companhia foi o resultado da fusão da Comasp, Sanesp, Saec (Superintendência de Águas e Esgotos da Capital), Fesb (Fomento Estadual de Saneamento Básico), SBS (Saneamento da Baixada Santista) e Sanevale (Saneamento do Vale do Ribeira). As seis instituições formavam o complexo do saneamento, onde se encontra, atualmente, a sede da Sabesp, em Pinheiros.

Depois de 43 anos, a empresa orgulha-se de prestar serviços em 366 municípios, operando um sistema formado por mais de 120 mil km de redes de água e esgotos, o suficiente para dar a volta ao mundo três vezes. Com a responsabilidade de levar qualidade de vida a cerca de 28,6 milhões de pessoas, a Sabesp divide com todos os seus clientes a alegria de ser a maior empresa de saneamento básico do Brasil.
 
 
 
       
   
Mais notícias