quinta-feira, 03 de novembro de 2016
 
 
Secretário Benedito Braga abre seminário internacional em Santos
 
 
 
 
Secretário Benedito Braga na abertura do Seminário Internacional (Foto: Gruiz)
 
 
 
  O Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga, e o Presidente da Sabesp, Jerson Kelman, abriram nesta quinta-feira (03) o Seminário Internacional “Qualidade das Águas Costeiras no Estado de São Paulo”, realizado pela SSRH em parceria com a Escola Politécnica da USP. O objetivo do encontro é fazer uma avaliação dos principais fatores que afetam a qualidade das águas costeiras no Estado, de modo a fornecer subsídios para a definição de novos programas e políticas públicas.

Em seu discurso de boas-vindas, Braga destacou a importância do debate sobre águas costeiras para o saneamento. “Este seminário pretende discutir, tanto com a sociedade civil quanto com técnicos que possuem grande experiência em tratamento de efluentes em regiões costeiras, como os países que tiveram problemas de balneabilidade em suas cidades resolveram essas questões. É uma troca de experiências para que encontremos soluções desses problemas aqui no Brasil”, afirmou.

Braga aproveitou para explicar a importância da poluição difusa na compreensão da dinâmica do saneamento na região da Baixada Santista. “A balneabilidade imprópria não acontece em função de mau funcionamento de um emissário submarino, eles estão funcionando muito bem. Ela acontece por uma questão de ocupação e de um problema de utilização dos canais como um sistema que leva os esgotos para dentro do emissário: ligações clandestinas, ocupações irregulares, tudo isso gera o que chamamos de poluição difusa. Se você for analisar quando a balneabilidade não está apropriada, é justamente nos eventos chuvosos, momento em que a capacidade desses canais excede a capacidade de transferir essa água poluída para dentro do emissário”, disse o secretário, que também ocupa o posto de presidente do Conselho Mundial da Água.

O secretário sugeriu o aperfeiçoamento de uma política integrada entre o Estado e os municípios para que as ocupações sejam regularizadas. Além disso, completou Braga, “precisamos ter uma discussão com o poder judiciário para que possamos ter, mesmo nas ocupações irregulares, a capacidade de prover a coleta e o tratamento dos esgotos”, argumentou.

Kelman, por sua vez, usou sua experiência pessoal para conversar com os presentes. “No início da minha carreira como professor de Engenharia, em 1976, eu me empenhava muito em ensinar aos alunos quais são as técnicas para resolver os problemas. Com maturidade, passados 40 anos, estou em outra fase. Agora eu ajudo os alunos a enunciar corretamente qual é o problema a ser resolvido, e os problemas que nós temos que resolver aqui, no litoral, são três: saúde pública, saúde nas ocupações irregulares e balneabilidade”, salientou. Saiba mais.

A abertura do seminário também contou com a presença da Secretária do Meio Ambiente de Santos, Débora Blanco Bastos Dias, do deputado federal João Paulo Tavares Papa, e do Diretor da Poli-USP, José Roberto Castilho Piqueira. Neste primeiro dia, o seminário conta com 11 palestras e tem previsão de acabar às 17h30. Às 20h30, haverá uma première do filme “Pequeno Segredo”, da Família Schurmann, a primeira família brasileira que deu a volta ao mundo a bordo de um veleiro. Na sexta-feira (04), dez palestras serão realizadas e, na sequência, um grande debate está previsto.

A SSRH, com apoio da Sabesp, transmite em tempo real as palestras nos dois dias do seminário. Saiba mais aqui. Para ver a programação, clique aqui.
 
 
 
   
Mais notícias