segunda-feira, 17 de outubro de 2016
 
 
Nova estação universaliza saneamento em São José dos Campos
 
 
 
 
Geraldo Alckmin e Benedito Braga inauguram ETE Pararangaba (Foto: SSRH/ Gruiz)
 
 
 
 
O governador Geraldo Alckmin inaugurou neste sábado (15) a nova Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Pararangaba, universalizando o saneamento básico do município de São José dos Campos. Com o sistema, a cidade passa a ser considerada a melhor saneada, entre as com mais de 600 mil habitantes, do país, contribuindo, ainda, com a melhoria da qualidade de um dos principais rios do Brasil – o Paraíba do Sul. Também participaram do evento o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga, o diretor de Sistemas Regionais da Sabesp, Luiz Paulo de Almeida Neto, e o superintendente regional da Sabesp, Fernando Oliveira, além de autoridades locais.

“São José dos Campos e a região do Vale do Paraíba estão de parabéns. Nós universalizamos todos os municípios operados pela Sabesp na região. Nós temos apenas três cidades, com mais de 600 mil habitantes, que possuem saneamento básico universalizado e São José dos Campos é a primeira, seguida de Curitiba e Uberlândia”, disse Alckmin.

Durante a inauguração, o Governador caminhou por toda a área da ETE Pararangaba, conheceu a planta e a sala de controle de operação do sistema, e teve acesso a duas amostras de água para verificar a qualidade do tratamento fornecido pela estação. Com 690 habitantes e IDH de 0,807, a universalização permitiu que São José dos Campos seja considerada a sétima maior cidade do Estado e 29ª do Brasil com 97% de coleta e 99% de tratamento de esgotos. “Hoje, São José dos Campos é um dos poucos municípios do Brasil que tem uma porcentagem de tratamento e de coleta de esgotos no nível que nós observamos aqui. Esse é um caso único em uma cidade desse porte. Outras cidades do país adorariam estar nessa posição”, ressaltou Braga.

As obras para a construção da ETE Pararangaba foram realizadas em duas etapas, totalizando 37 km de coletores-tronco, 26 km de redes de esgotos, 1.726 ligações domiciliares e 8 estações elevatórias (unidades de bombeamento). O sistema, cujo investimento foi de mais de R$ 107,8 milhões, vai atender 170 mil habitantes da região leste (correspondendo a 25% da população da cidade) – região que mais cresceu nos últimos anos –; além de ter gerado empregos diretos e indiretos para 600 pessoas.

Os outros 75% da região já são atendidos pela Estação de Tratamento de Esgotos Lavapés, sistema que teve também sua capacidade duplicada de 585 litros por segundo para 1.168 l/s, em 2014. Para a realização da ampliação da ETE, foram investidos R$ 37 milhões.

O novo sistema de esgotamento sanitário de Pararangaba, cuja capacidade será tratar 404 litros por segundo, contribuirá para a preservação de importantes cursos d´água, como os córregos Alambari, Pararangaba e Botujuru, além do rio Paraíba do Sul, um dos principais mananciais do país, que abastece os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, totalizando 15 milhões de pessoas. O município de São José dos Campos passa a ter 100% de cobertura de coleta de esgotos e 100% de tratamento.

“Essa estação é um grande avanço não só para o município de São José dos Campos, mas também para toda a bacia do Rio Paraíba do Sul, um dos rios mais importantes do Brasil, que abastece as principais regiões metropolitanas, por exemplo, Região Metropolitana de São Paulo, do Vale do Paraíba e do Rio de Janeiro. O Rio Paraíba do Sul é de fundamental importância em termos de abastecimento público e a ETE Pararangaba vem contribuir de forma imensa e singular para a melhoria de suas águas”, enfatizou Fernando Oliveira.

Melhoria da água do Rio Paraíba do Sul garante a volta de peixes
Os avanços da coleta e tratamento de esgoto nos municípios operados pela Sabesp na região do Vale do Paraíba garantiram a melhoria na qualidade da água e volta dos peixes no Rio Paraíba. Com isso, os pescadores, que eram raros no local, agora estão presentes. Na maior parte do trecho entre São José dos Campos e Queluz, o Rio Paraíba já atende o padrão Conama de rios classe I e II, se considerados os parâmetros DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) e Escherichia Coli (grupo de bactérias), do relatório da Cetesb de 2015.

Hoje, o Vale do Paraíba apresenta índices de cobertura com coleta e tratamento de esgoto de 97% e 98%, respectivamente, devido à construção de novos sistemas de esgotamento sanitário, nos últimos cinco anos, beneficiando municípios como Arapeí, Cachoeira Paulista, Guararema, Queluz, Lavrinhas, Monteiro Lobato e São José dos Campos.

“São José dos Campos é uma cidade muito importante a nível estadual e federal. A universalização, para cidades desse porte, é algo raro. É um orgulho e uma vitória para a Sabesp e para São Paulo ter uma cidade desse tamanho avançando, melhorando a qualidade dos rios, e o Rio Paraíba do Sul voltando a ter peixes”, concluiu Luiz Paulo.

 
   
Mais notícias