terça-feira, 31 de agosto de 2016
Estado entrega obra que aumenta a segurança do abastecimento na RMSP
 
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, inaugurou nesta quarta-feira (31), em São Bernardo do Campo, a obra de transferência de água do Rio Pequeno para o Rio Grande. O investimento de cerca de R$ 20 milhões foi feito pela Sabesp e permitirá que até 4.000 litros de água por segundo sejam bombeados, aumentando a segurança hídrica da Grande São Paulo.

A obra se estende ao longo de 1,2 km de extensão, no ABC. Seu objetivo é conectar dois braços da represa Billings, formados pelos rios Pequeno e Grande. “Uma obra estratégica e importante. Essa interligação de sistemas, Rio Pequeno com o Grande e este com Taiaçupeba é o que nos dá enorme garantia nos períodos de seca extrema e de mudanças climáticas”, disse o governador Geraldo Alckmin.

Entre os rios existe um desnível de 11 metros de altura que precisa ser superado com bombeamento, para que a água captada do Rio Pequeno seja enviada até o braço do Rio Grande. Essa vazão é composta por água bruta – ou seja, aquela que ainda não passou pelo tratamento.
 
Obra possibilita transferência de água do Rio Pequeno para Rio Grande (Foto: SSRH)

Ela poderá ser captada e levada até a Estação de Tratamento de Água Rio Grande, que abastece parte do ABC, ou bombeada novamente até a represa Taiaçupeba, já no Sistema Alto Tietê, e lá também passar por tratamento antes de seguir para casas, prédios, comércios e indústrias.

Dessa forma, a água do Rio Pequeno aumenta a segurança do abastecimento da Grande São Paulo. É um aumento no estoque de água disponível para atender aos moradores do ABC e também das zonas leste e sul da capital paulista e de municípios do Alto Tietê.

As principais estruturas incluem a instalação de bombas flutuantes dentro do Rio Pequeno; painéis elétricos, cabeamento e equipamentos de energia para a operação de bombeamento; 4 conjuntos de tubos de PEAD (polietileno de alta densidade, um plástico muito resistente) com diâmetro de 1 metro; caixa de amortecimento; galerias de concreto; duas novas travessias, uma por baixo de uma estrada municipal e um túnel de 53 metros de extensão e 1,8 m de diâmetro, sob a rodovia Índio Tibiriçá. Parte do caminho a ser percorrido pela água se dará por um córrego que deságua naturalmente no Rio Grande.

A obra pode transferir até 4.000 litros por segundo do Rio Pequeno para o Rio Grande. A quantidade de água bombeada pode variar ao longo do tempo de acordo com a chuva, por exemplo, já que parte da precipitação escorrerá naturalmente para o córrego que termina no Rio Grande.

Mais água para São Bernardo do Campo
O governador Geraldo Alckmin inaugurou, também, um reservatório metálico no bairro Alvarenga, em São Bernardo do Campo. Com investimento de R$ 14 milhões, o equipamento amplia a capacidade de armazenamento de água em 15 milhões de litros e proporcionará melhores condições operacionais e maior segurança no abastecimento para 91 mil moradores de diversos bairros do município.

A implantação dos reservatórios metálicos setoriais foi uma ação complementar de segurança ao abastecimento porque garante mais reserva de água tratada e constância no atendimento em bairros distantes dos principais sistemas adutores, propiciando uma melhora de pressão.

Com a inauguração do reservatório Alvarenga já são 23 novos equipamentos em operação desde que foi deflagrada a crise hídrica, no início de 2014. Esse conjunto representa uma capacidade de armazenamento de água tratada de 156,5 milhões de litros. Outros dois serão entregues neste ano: Itapecerica, com volume para 2,5 milhões de litros, e Ribeirão Pires, com capacidade de armazenar 5 milhões de litros de água.

 
Mais notícias